Avaliação: Volvo C40 Recharge

Recursos tecnológicos e sofisticação dão o tom no novo carro elétrico da marca sueca

Volvo C40 Recharge - Caderno Garagem

A primeira sensação é de que está faltando alguma coisa. Entro no Volvo C40 Recharge, automóvel 100% elétrico da marca sueca, afivelo o cinto de segurança e procuro o botão da ignição para dar a partida.

Não acho. Vem a explicação de um funcionário da Volvo: “O botão não existe. O motor liga depois que você se acomoda e põe o cinto”.  Tudo no mais absoluto silêncio, o que reforça a ideia de que o carro ainda está desligado. É a evolução da evolução de não precisar usar a chave para acionar o motor, tampouco o botão que nem sequer existe no painel. Ao colocar o câmbio na posição P (parking), o motor repousa.

Essa é apenas uma das tecnologias do C40, modelo lançado em fevereiro por R$ 419.950 e avaliado por GARAGEM durante uma viagem de mais de 400 km de Curitiba (PR) a São Paulo (SP).  

Volvo C40 Recharge - Caderno Garagem

No início da jornada, o painel de instrumentos aponta que a autonomia é de 300 km. Ou seja, será necessário parar no caminho para recarregar a bateria antes de completar o percurso. O pit stop acontece em um posto de serviço na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), na cidade de Cajati (SP), onde a Volvo investiu na estrutura como parte de um projeto de instalar 13 eletropostos em estradas brasileiras.

Ao contrário do carro com motor a combustão, o elétrico gasta mais na estrada, uma vez que o sistema de frenagem regenerativa é usado bem menos. Ou seja, um eventual engarrafamento pesado é capaz de comprometer a autonomia programada. A Volvo anuncia que o crossover consegue rodar 440 km com a carga completa da bateria de 78 kWh.

Volvo C40 Recharge - Caderno Garagem

Outra novidade tecnológica do C40 é o Google nativo na central multimídia. O Google Automotive Services faz parte dos avançados recursos do carro e, quando necessário, atualiza o banco de dados, deixando o sistema sempre em dia. Cada vez mais, os carros estão se tornando smartphones sobre rodas.

Na rodovia, o motor elétrico de 408 cv responde prontamente e o torque de 67,3 kgfm é imediato. É só pressionar o acelerador que o carro dispara, comportamento importante numa situação de ultrapassagem. Segundo a Volvo, o C40 leva 4,7 segundos para sair da imobilidade e chegar a 100 km/h.

Como em outros automóveis elétricos, o C40 tem a tecnologia One Pedal Drive que, uma vez acionada, executa a aceleração e a frenagem em um único pedal. Para reduzir a velocidade, basta aliviar o pé do acelerador, iniciando o trabalho de regeneração de energia.

Volvo C40 Recharge - Caderno Garagem

Outro recurso valioso é o controle de velocidade adaptativo. Nele, é possível ajustar a velocidade pretendida e a distância do carro à frente. Se ele diminuir a velocidade ou parar, o C40 faz o mesmo, sem a intervenção do motorista. Essa operação foi uma constante na BR-116 repleta de caminhões, que também trafegam na pista esquerda.

Com 4,43 metros de comprimento, 1,85 m de largura, 1,58 m de altura e 2,70 m de distância entre-eixos, o C40 é um veículo muito confortável, atributo potencializado pelo acabamento requintado, elevando o bem-estar a bordo.

Em Cajati, 80% da bateria do carro foi recarregada, suficiente para rodar os 250 km restantes da viagem. O motorista pode monitorar o consumo pelo painel de instrumentos, que indica a quantidade de energia a ser consumida pelo carro até chegar ao destino, levando em conta parâmetros da distância e das condições das vias.

O Volvo C40 Recharge enfrentou uma sucessão de curvas e precisou andar em baixa velocidade em um trecho por causa de uma carreta tombada na estrada. No fim, encerrou o trajeto à capital paulista com 16% de carga. Em seguida, foi só tirar a bagagem do porta-malas de 413 litros e curtir as boas lembranças de uma viagem com conforto e sem desgaste.

Volvo C40 Recharge - Caderno Garagem