Som no carro não faz mal a ninguém, desde que haja bom senso

Ouvir música, notícias ou até um áudio livro enquanto dirige pode ser muito prazeroso e útil, desde que isso seja feito com bom senso

Som - Caderno Garagem
Montadoras usam dummies especiais para checar a acústica dos veículos

Para muita gente, chega a ser inconcebível ter um automóvel que não possua um equipamento de áudio – desde um prosaico rádio AM/FM até uma moderníssima central multimídia capaz de reproduzir diversos tipos de mídia. Afinal, dirigir acompanhado por uma boa trilha sonora é um prazer redobrado (embora boa parte das pessoas prefira aproveitar o tempo ao volante para se manter atualizado com as notícias ou acompanhando os jogos do time de coração, por exemplo, o que também é válido).

É preciso lembrar, contudo, que sempre é preciso manter atenção total e constante quando se está ao volante. Quem nunca se deparou com motoristas que se distraem cantarolando uma canção e não veem que o semáforo abriu? Esse exemplo tem o atenuante de, pelo menos, não colocar ninguém em risco. Mas há casos de pessoas que vão trocar de estação no rádio e desviam a atenção da via com o carro em movimento, o que representa risco tão grande quanto falar ao celular ou digitar enquanto dirige.

Mas o pior é o comportamento que parece ter se tornado “praga” ultimamente: a moda dos equipamentos superdimensionados. Não basta “apenas” a pessoa rodar ouvindo músicas dos mais variados gêneros em volume ensurdecedor. É preciso mostrar que o equipamento é enorme – independentemente da qualidade do som emitido.

Som - Caderno GaragemEssa moda, além de extremamente prejudicial à saúde de quem fica exposto ao som, também põe em risco os demais motoristas, já que o condutor do veículo com som “anabolizado” não consegue ouvir nada mais ao redor. Mesmo que seja a buzina de um caminhão desgovernado indo na direção dele.

Outro bom motivo para evitar o som alto no carro é que quem fica exposto a níveis sonoros muito altos (acima de 85 decibéis) pode sofrer danos irreversíveis no sistema auditivo. E se, mesmo assim, ainda for preciso outro argumento, é bom lembrar que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, som em volume exagerado no carro é infração grave, com multa de R$ 195,23 e cinco pontos no prontuário do motorista.

Então lembre-se sempre que você pode ouvir o tipo de música que quiser ao volante, mas os demais não precisam saber. E a audição é um dos sentidos mais importantes para manter a atenção – ainda mais quando se está dirigindo.