McLaren 620R é muito mais que um superesportivo

Se o modelo 570S GT4 é uma fera – que venceu corridas em todos os campeonatos que disputou desde o seu lançamento, em 2017 – imagine como pode ser a versão “sem limites” desse bólido. Essa é a 620R

mclaren2
Pintado de preto, o 620R não impressiona tanto (quando está parado)

 

Há um ano, quando a McLaren anunciou que iria produzir uma versão ainda mais potente do 570S GT4, muita gente começou a imaginar como seria o cupê. Afinal, a tradicional fabricante inglesa adiantou, na época, que a novidade seria “uma versão legal para estrada de um carro de corrida” e que já havia uma unidade destinada ao Brasil. Batizado como 620R, o novo bólido chegou ao País no fim do ano passado e agora você vai poder conhecer os detalhes dessa supermáquina.

Produzido em edição limitada e numerada de 350 unidades, o único McLaren 620R do Brasil é o nº 192 da série e é pintado na cor Borealis – um tipo de preto metálico, que, dependendo da luz, revela tons verdes ou roxos – com faixas laranja. A estrutura é a mesma Monocell, feita de plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP, na sigla em inglês, material famoso por unir resistência e leveza, e com o qual todos os McLaren são produzidos), que pode ser visto no teto e na bem dimensionada asa traseira, que garante downforce e melhor estabilidade. O uso do material resultou em um automóvel com elevada rigidez torcional e muito leve (1.282 kg).

mclaren9
Atrás, a generosa asa chama a atenção

Mas um carro concebido para as pistas possui detalhes que não podem ser percebidos ao primeiro olhar, mas que fazem toda diferença na prática, como os elementos aerodinâmicos ajustáveis, os componentes de suspensão derivados dos de competição e o conjunto motriz devidamente recalibrado. Os amortecedores, por exemplo, possuem nada menos que 32 pontos de ajuste cada, o que permite ao motorista regular a ação deles de forma superprecisa. Além disso, os componentes contribuem para reduzir ainda mais o peso do cupê, que é 6 kg mais leve que o 570S GT4.

Os triângulos de alumínio são ainda mais leves, enquanto barras e molas apresentam maior rigidez do que as que equipam o modelo original. Um detalhe que mostra a preocupação da fabricante com a sensibilidade das respostas do veículo ao piso é a troca dos coxins de borracha da suspensão por modelos de aço inoxidável. O conforto é prejudicado, é verdade, mas o feedback proporcionado é muito superior ao dos demais veículos.

Sem restrições

Para disputar qualquer competição, um automóvel é obrigado a se adequar às regras, e não foi diferente com o McLaren 570S. Enquanto a versão de pista do cupê teve de ser “amansada”, com a potência baixando de 570 hp (cerca de 578 cv) para 425 hp (430 cv), o 620R pode usufruir de incríveis 620 hp (628 cv), já que não precisa se enquadrar em nenhuma regra. O motor é o mesmo M838TE V8 biturbo de 3,8 litros usados no GT4, mas com a central eletrônica “liberada”. O torque é de 620 Nm, ou incríveis 63,2 kgfm. Esses valores permitem ao McLaren 620R disparar de 0 a 100 km/h em apenas 2,9 segundos e ir de 0 a 200 km/h em 8,1 segundos (marca melhor que a de muitos esportivos), além de atingir 322 km/h de velocidade máxima.

mclaren7
O V8 biturbo sob uma tela na tampa do motor

O câmbio, por sua vez, é o mesmo automatizado de dupla embreagem com sete marchas, que consegue proporcionar trocas ainda mais rápidas graças à tecnologia Inertia Push, que, segundo a montadora, converte a energia acumulada do volante do motor em picos de torque nas mudanças de marcha. E como (às vezes) também é preciso parar, o 620R possui discos de freio carbono-cerâmicos, de 390 mm de diâmetro na dianteira e 380 mm na traseira, além de pinças de alumínio forjado nas quatro rodas. Por falar nelas, as rodas têm 19” na frente e 20” atrás, e são montadas com pneus Pirelli PZero Trofeo R, desenvolvidos especialmente para a McLaren.

mclaren1
A cabine traz apenas o essencial para as pistas

A cabine, como em todo modelo de competição, traz apenas o essencial, para aliviar peso. Assim, itens como tapetes de carpete, porta-luvas, ar-condicionado, navegador por GPS e sistema de áudio não estão presentes, mas podem ser instalados, caso o cliente deseje – e sem custo extra. Em compensação, o 620R possui uma tela central (sensível ao toque) com sistema de telemetria. Os bancos de competição têm estrutura de CFRP, assim como as borboletas para trocas de marcha junto ao volante. O exemplar único encontrado no Brasil traz ainda um sistema que permite elevar a dianteira do veículo – recurso bastante útil na hora de entrar ou sair de garagens. Como já saiu da fábrica em Surrey, na Inglaterra, vendido, a representante oficial da McLaren no Brasil não revelou o preço, nem o nome do proprietário do 620R.