Ford lança picape Maverick, que será vendida no Brasil

Menor que a Ranger, veículo vai se intrometer no segmento amplamente dominado pela Fiat Toro

Nos anos 1970, a Ford lançou no Brasil o esportivo Maverick, que tinha a pretensão de duelar com o Chevrolet Opala. O carro saiu de linha em 1979, virou clássico e, como tal, vale uma grana alta no mercado de usados.

Agora, a marca reedita o nome Maverick nos Estados Unidos, mas com outra configuração. O Maverick virou uma picape, que deverá chegar ao Brasil em 2022 para concorrer com a Fiat Toro.

Fabricada no México, a Maverick 2022 tem aspecto robusto e quer conquistar os clientes que gostam de passar momentos de lazer a bordo de picapes.

Ela é produzida na mesma plataforma do SUV Bronco, recém-chegado ao mercado brasileiro. Nos EUA, dispõe de dois motores. O primeiro é o 2.0 EcoBoost (254 cv de potência, 38,2 kgfm de torque e transmissão automática de oito marchas). A segunda opção é o 2.5 Duratec Hybrid, de 194 cv de potência total e câmbio CVT.

A picape da Ford mede 5,07 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,74 m de altura e 3,08 m de distância entre-eixos. A caçamba, de 1,37 m de comprimento, pode levar 680 kg de carga e possui uma tomada de 110 volts, praticidade também oferecida na cabine.

Por dentro, a central multimídia Sync 3 com tela de oito polegadas é compatível com os sistemas Android Auto e CarPlay, além de wi-fi, que atende 10 aparelhos móveis ao mesmo tempo.

Como ela mira a Toro, suas dimensões já levam vantagem sobre a rival, que tem 4,94 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,73 m de altura e 2,99 m de entre-eixos.

A Maverick é maior que a Toro, mas o design está longe da modernidade da concorrente da Fiat, recentemente reestilizada. As linhas do modelo da Ford são mais retas, como no Bronco. Mas, esse tipo de carroceria parece combinar mais com o utilitário esportivo e nem tanto com a picape, que poderia apresentar um pouco mais de ousadia em suas formas.

A expectativa é saber qual será a estratégia da Ford com a  Maverick no Brasil, em se tratando de motores, tipos de acabamento e, é claro, preços. Uma coisa é certa: não será fácil destronar a Toro, que já consolidou sua imagem entre as picapes médias vendidas por aqui.