Honda atualiza Civic para peitar o Corolla

Entre as mudanças está o lançamento da versão de entrada LX

 

Embora seja um carro consagrado no mundo todo, não é fácil a vida do Honda Civic no Brasil. De janeiro a julho, ele vendeu 15.986 unidades no país, praticamente a metade dos 32.019 carros do rival Toyota Corolla. Para deixar a 10ª geração do sedã mais competitiva, a Honda reestilizou sua linha 2020. Outra novidade para tentar catapultar as vendas do modelo é a introdução da versão de entrada LX, que custa R$ 97.900 – o mais barato dos Corolla, o GLI, sai por R$ 79.990.

O Honda Civic 2020 está mais recheado. Desde a versão LX, o pacote de equipamentos contempla seis airbags, ar-condicionado digital automático, câmbio CVT, freio de estacionamento eletrônico com função Brake-Hold, controle de cruzeiro e modo de condução econômico Econ.

“Um dos maiores trunfos do Civic continua sendo o design, uma mescla de sedã e cupê graças à caída da linha do teto na traseira”, afirma Ariel Mógor, supervisor de planejamento de produto da Honda. “E agora as mudanças reforçam o apelo esportivo do carro.”

O sedã cresceu 1,5 cm no comprimento por causa da maior robustez do para-choque que recebeu elementos cromados. Na traseira, a peça também traz um friso cromado. Por dentro, a fabricante usou materiais de qualidade superior e macios ao toque.

As versões Touring, EXL e EX têm bancos e acabamento das portas na cor cinza, ao passo que o padrão dos revestimentos das versões LX e Sport igualmente foi aprimorado.

Um dos itens incorporados em toda a linha do Honda Civic é o sistema de monitoramento de pressão dos pneus. Quando um deles estiver murcho, furado ou com a pressão abaixo da ideal, um alerta no painel se acende para avisar o motorista.

Já a versão Sport ganha central multimídia com tela de sete polegadas e compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto, acendimento automático dos faróis e vidros escurecidos. Tudo isso e mais bancos de couro e sistema de áudio com oito alto-falantes estão presentes na EX.

A EXL oferece também sensor de chuva e sistema Smart Key, que dispensa a chave para entrar e ligar o carro. Além disso, ele possui navegação por GPS, painel digital e ar-condicionado digital de duas zonas e saída para os ocupantes do banco traseiro.

A versão topo de linha Touring adiciona áudio com 10 alto-falantes (totalizando 452 watts de potência), recarregador de smartphone por indução (eliminando o uso de cabo), ajuste lombar no banco elétrico do motorista e câmera no retrovisor direito que, segundo a Honda, amplia em 80% a visão do motorista.

A parte mecânica do Civic não mudou. Todas as versões são equipadas com motor 2.0 flex de 155 cv de potência e torque de 19,5 kgfm associado à transmissão CVT. A exceção é a Touring, com motor 1.5 a gasolina de 173 cv e torque de 22,4 kgfm, mas também dotado de CVT.

O Civic 2020, que chega às concessionárias já em agosto, se renova para tentar assustar um pouco mais o Corolla. O problema é que o sedã da Toyota também vai mudar neste ano, ganhando, inclusive, motorização híbrida. Como se vê, é dura a vida do Civic no mercado brasileiro.

Veja os preços de todas as versões do Honda Civic 2020:

LX: R$ 97.900
Sport: R$ 104.100
EX: R$ 107.600
EXL: R$ 112.600
Touring: R$ 134.900