Peugeot lança novo 208, mas mercado ainda espera versão elétrica

Segunda geração do hatch custa a partir de R$ 74.990. Já o 208 e-GT, com motor elétrico, chega no começo de 2021

A Peugeot, enfim, anunciou sua entrada na era da eletrificação no mercado brasileiro e coube ao novo Peugeot 208 ganhar uma versão 100% elétrica de 136 cv, batizada de e-GT, cujo preço ainda não foi revelado. As pré-vendas já começaram, mas as entregas do modelo só acontecerão no início de 2021.

O Peugeot 208 e-GT é importado da Europa e sua bateria pode ser reabastecida em tomadas residenciais convencionais ou em carregadores rápidos. É possível alimentar 80% da bateria em cerca de 30 minutos.

Mas o consumidor que quiser o novo 208 agora não ficará na mão. Ele pode comprar uma das quatro versões disponíveis com motor 1.6 flex de 118 cv e câmbio automático de seis marchas. Na Argentina, o hatch é oferecido com motorização 1.2.

Os preços? Lá vão: a versão de entrada Active custa R$ 74.990, enquanto a Active Pack sai por R$ 82.490. A intermediária Allure salta para R$ 89.490 e a Grife, topo de linha, será oferecida nas concessionárias por R$ 94.990. Segundo a Peugeot, o 208 atual deixou de ser fabricado em Porto Real (RJ), em março.

Fabricado na Argentina, o modelo dotado de motor a combustão foi desenvolvido sobre a nova plataforma modular CMP (Common Modular Platform) do grupo PSA e o design estreia a identidade visual reformulada da marca. A carroceria caracteriza-se por ser mais larga e mais baixa que a do antecessor, com 4,05 metros de comprimento, 1.74 m de largura, 1,45 m de altura e 2,54 m de distância entre-eixos. A capacidade do porta-malas é de 265 litros.

A dianteira e a traseira da segunda geração do 208 mudaram totalmente. Lá na frente, a enorme grade tem o efeito pontilhado – como no SUV 3008 – e os faróis de neblina de LED são um fio vertical, que remete ao dente de sabre de um felino. A traseira, por sua vez, possui uma régua com acabamento em black piano, que se estende por toda a largura da tampa do porta-malas, unindo as lanternas.

No interior, o i-Cockpit – marca registrada dos modelos Peugeot – evoluiu para a versão 3D, com cluster holográfico em três dimensões. Essa tecnologia está disponível a partir da versão Allure. O sistema multimídia tem tela de sete polegadas e é compatível com Android Auto e Apple Car Play. Na parte central do painel, controles em forma de teclas dão acesso a uma série de funções do carro, assim como nos SUVs 3008 e 5008.

Muito mais tecnológico que o antecessor, o novo Peugeot 208 traz o Driver Assist, dispositivo que reúne recursos, como o alerta de colisão (adverte o motorista sobre a iminência de colisão com o veículo à frente), frenagem de emergência (que atua para reduzir a velocidade de impacto ou evitar batida frontal se o motorista não reagir) e alerta e correção de mudança de faixa (que alerta o condutor no caso de mudança involuntária de pista).

Durante o lançamento virtual do Peugeot 208, a presidente do Grupo PSA no Brasil, Ana Theresa Borsari, ressaltou que a má fama de depreciação elevada dos modelos da fabricante francesa faz parte do passado. “A valorização comprovada de modelos como o 3008 comprova isso”, afirma.

Para a compra do novo 208, o interessado pode aderir ao plano oferecido pela marca, de pagar R$ 35.000 de entrada e dividir o resto em 30 parcelas. Na hora de revender, a Peugeot promete pagar pelo carro 100% do valor da tabela Fipe, referência no setor. As revisões têm preço fixo e a garantia é de três anos.