General Motors e Honda fecham acordo estratégico na América do Norte

Aliança entre as duas corporações prevê, inicialmente, sinergia no desenvolvimento de novas tecnologias e veículos naquela região, mas pode se estender a outros mercados

Chevrolet Cruze sobre a base do Honda Civic pode ser um fruto da aliança GM-Honda

Os grupos General Motors e Honda assinaram um acordo para a formação de uma aliança estratégica na América do Norte, com o objetivo de desenvolver novos veículos e tecnologias, além de otimizar custos nas operações de compra, pesquisa, desenvolvimento e serviços conectados. Também estão previstos os compartilhamentos de plataformas e de conjuntos de propulsão – eletrificados e convencionais (a combustão). O trabalho em conjunto está previsto para começar já a partir do início do próximo ano.
É importante lembrar que as duas empresas já possuem acordos anteriores que previam a colaboração no desenvolvimento de células de combustível, baterias e no veículo autônomo Cruise Origin, da GM. A parceria anunciada agora amplia esses acordos.

“Esta aliança ajudará as duas empresas a acelerar o investimento em futuras inovações em mobilidade, disponibilizando recursos adicionais. Dado o nosso forte histórico de colaboração, as empresas perceberam sinergias significativas no desenvolvimento do portfólio atual de veículos”, afirmou Mark Reuss, presidente da General Motors.

“Por meio dessa nova aliança com a GM, podemos alcançar eficiências de custo substanciais na América do Norte, o que nos permitirá investir em tecnologia de mobilidade futura, enquanto mantemos nossas próprias ofertas de produtos distintos e competitivos”, afirmou Seiji Kuraishi, vice-presidente executivo da Honda Motor Co. Ltd. “Combinando os pontos fortes de cada empresa e determinando cuidadosamente o que faremos por conta própria e o que faremos em colaboração, nos esforçaremos para construir uma relação ‘ganha-ganha’ para criar novo valor para os nossos clientes”, completou o executivo japonês.

Embora o acordo se restrinja à América do Norte (segundo o comunicado oficial), é preciso lembrar que muitos dos automóveis oferecidos por Chevrolet e Honda no Brasil – e em outros países da América do Sul – são oriundos de Estados Unidos e México, e não faz sentido imaginar que as duas montadoras manterão linhas de produção exclusivas em suas fábricas nesses países apenas para fabricar modelos com especificações para os mercados do Cone Sul.