Duster comemora dois milhões de unidades vendidas

Modelo foi lançado na Europa como proposta de SUV robusto e barato e se tornou um fenômeno no mercado global

Renault Duster - Caderno Garagem

Não é todo dia que um automóvel chega à marca de dois milhões de unidades vendidas. Ainda mais se o modelo não é, por assim dizer, um dos queridinhos da indústria global. Mas o Duster alcançou essa proeza. Não pense que estamos falando exclusivamente do Renault Duster comercializado no Brasil. Sim, o modelo em questão é o mesmo, mas da Dacia, fabricante romena controlada pela Renault e que dá outro tratamento ao SUV.

O Duster foi lançado em 2010 com a proposta de ser acessível e popular e que se mostrou resistente às condições severas de clima, como o frio insano da Sibéria e o deserto de Marrocos. Vendido em 60 países, o Duster é um sucesso. Ok, está longe (ainda) dos números espetaculares de outros automóveis, como Toyota Corolla (quase 50 milhões de vendas), Ford Série F (40 milhões) e Volkwagen Fusca (25 milhões). Levemos em conta, no entanto, que a trajetória do Dacia Duster é recente e ele apresenta potencial para ser alçado a uma posição bem mais elevada no ranking de vendas mundial.

Renault Duster - Caderno Garagem

O Duster surgiu em um cenário no qual a maioria dos SUVs, categoria em crescimento, era cara e sofisticada. Com aparência robusta e mais em conta, mostrou-se em sintonia com as tendências da época. Rapidamente caiu no gosto do consumidor.

A Dacia afirma que os clientes do Duster são “diferentes”, por estarem em todas as partes do mundo. E a marca lista alguns fatos curiosos que cercam o carro:

  • Entre todos os mercados, o Reino Unido tem uma porcentagem maior de mulheres comprando Dacia Duster em comparação aos homens.
  • A Turquia tem o grupo mais jovem de compradores do Duster (42 anos, em média), com a predominância de famílias (62%).
  • Em países como França, Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália, as pessoas adoram atividades ao ar livre: 23% gostam de caminhar, 12% andam de bicicleta e 9% viajam com frequência.
  • Nos cinco países, 44% dos clientes residem em áreas rurais, 30% em pequenas cidades, 10% em cidades médias/grandes e 11% em áreas suburbanas.
  • Os principais fatores de compra do Duster são preço (56%), design (20%) e fidelidade à marca (16%).

Renault Duster - Caderno Garagem

Antes de entrar em linha de montagem, o Duster era tratado pelo codinome H79. A tarefa dos projetistas e engenheiros não era simples: pegar uma folha de papel em branco e criar um veículo inexistente no mercado. Tinha de ser adequado ao frio congelante e ao calor escaldante – e por um preço imbatível frente à concorrência.

O primeiro Duster tornou-se um best-seller, mas foi superado pela segunda geração. Depois de inúmeras competições internas de design, o modelo ganhou carroceria mais musculosa, com linha de cintura elevada, janelas mais altas e grade chamativa.

Na Romênia, o Duster tornou-se um orgulho nacional e que atende uma série de serviços: tem Duster de polícia, militar, ambulância e unidades adotadas por agências governamentais.

Renault Duster - Caderno Garagem

O carro também é importante em vários mercados e, no Brasil, tem seus méritos. É o 12º SUV mais vendido do país, onde a enxurrada de utilitários esportivos aumenta a cada dia. O Duster foi lançado para combater o Ford EcoSport, que dominava as vendas em um autênntco monopólio. Cumpriu seu pepal com louvor e hoje seu desempenho por aqui parece agradar os executivos da Renault.