Stellantis inicia produção de motores GSE Turbo, em Betim (MG)

Novos motores 1.0 e 1.3 deverão equipar modelos como Jeep Compass e Fiat Toro

 

A julgar o apetite da Stellantis – companhia que nasceu da fusão dos grupos FCA (Fiat-Chrysler) e PSA (Peugeot-Citroën) – em seus primeiros meses de vida, o mundo automotivo estará sempre borbulhando de novidades. Aproveitando a visita do CEO Carlos Tavares ao Brasil, ela anunciou o início da fabricação da família de motores GSE Turbo, no polo automotivo de Betim (MG).

Com capacidade de produção inicial de 100.000 unidades/ano, a fábrica recebeu recursos de R$ 400 milhões, que incluem investimentos de fornecedores e pesquisa e desenvolvimento. No segundo momento, haverá outro aporte de R$ 100 milhões.

A família GSE Turbo é formada pelos motores T3 (1.0) e T4 (1.3), ambos flex e gasolina. Na versão a gasolina, o motor de quatro cilindros entrega 180 cv de potência e 27,5 kgfm de torque. O primeiro motor produzido será o de quatro cilindros e, em seguida, chegará a vez do três cilindros.

Segundo a Stellantis, eles trazem o sistema eletro-hidráulico MultiAir, que permite o controle flexível da duração e da elevação das válvulas de admissão, além do comando de carga do motor sem gerar perdas de bombeamento.

As tecnologias presentes na família GSE também diminuem o tempo de aquecimento do motor, baixando as emissões de gases e o consumo de combustível, especialmente em trajetos mais curtos.

A Stellantis fez a festa pela metade, porque não abriu o jogo sobre os modelos que serão equipados com os novos motores. Mas é praticamente certo que o Jeep Compass, prestres a estrear uma reestilização, e a picape Fiat Toro sejam dois dos automóveis contemplados.

O início da fabricação dos motores GSE eleva Betim como o maior centro de produção de powertrain da América Latina, dono de números expressivos: 700.000 motores e 500.000 transmissões por ano. A integração com os motores Fire e Firefly – que seguem na linha – favorece etapas de gestão, como sinergia, manutenção, logística e expertise técnica.

O big boss da Stellantis, Carlos Tavares, gostou do que viu: “O início da produção dos motores GSE Turbo é uma grande notícia para a economia brasileira. Todo o esforço faz parte do plano de garantir a satisfação dos nossos clientes”.

Para Antonio Filosa, presidente da Stellantis para a América do Sul, a inauguração da fábrica de motores turbo é um passo estratégico para ampliar a presença das marcas que compõem a Stellantis na América Latina. “Os motores GSE Turbo trazem muitas possibilidades para nossa gama de produtos, pois reúnem as melhores tecnologias de desempenho e sustentabilidade, com ganhos no consumo e redução de emissões”, afirma.

O projeto do polo de Betim – com 12.000 m² de área produtiva – começou em 2019, seguindo a tendência da chamada Indústria 4.0, com o uso de ferramentas de virtualização para criar e testar os processos de manufatura antes da instalação física e de realidade virtual para simular a operação de equipamentos e máquinas.