Renault apresenta Mégane e Spring elétricos

Plano da montadora é atingir emissão zero de todos os seus veículos até 2050

 

Ao longo de dez anos, a Renault vendeu 350.000 veículos elétricos. Tudo começou com o Zoe e depois vieram mais sete automóveis com esse tipo de propulsão.

Hoje (15), a marca francesa deu mais um passo na direção do compromisso de alcançar impacto zero de CO2 até 2050 na Europa. No meio do caminho, em 2030, a Renault pretende reduzir suas emissões de CO2 em 50%, tomando como parâmetro o ano de 2010.

No evento E-Ways, ela apresentou o protótipo Mégane eVision, hatch 100% elétrico, feito sobre a nova plataforma CMF-EV, dedicada aos modelos elétricos da montadora. A Dacia – que pertence à Renault – aproveitou a carona para mostrar o Spring Eletric, compacto urbano que será comercializado a partir de 2021. Segundo a Renault/Dacia, o Spring Electric tem autonomia de até 295 km em ambiente urbano.

Além dos elétricos, a Renault oferece, atualmente, uma gama de modelos híbridos e híbridos plug-in, como Clio, Captur, Mégane e Mégane Estate, com tecnologia E-Tech Hybrid e Plug-in Hybrid, agora disponível também no SUV Arkana.

A introdução da micro-hibridação de 12V no novo Arkana e no Captur complementa a oferta de motorizações, oferecendo todos os níveis de eletrificação para atender as necessidades do consumidor que busca um automóvel nesse segmento.

Daqui a dois anos, garante a Renault, todos os seus novos veículos contarão com uma versão elétrica ou eletrificada, colaborando para que o mercado tenha, em um prazo de cinco anos, 50% dos veículos vendidos movidos a propulsão elétrica ou híbrida.