GM reforça investimentos para carros elétricos e autônomos

Montadora aumenta recursos em 75% para acelerar projetos e ser a líder em veículos com motor a bateria

Silverado - Caderno Garagem

A General Motors resolveu entrar de cabeça no desenvolvimento de carros elétricos e autônomos. Ela anunciou hoje (16) que aumentará para US$ 35 bilhões os investimentos até 2025 na produção desses tipos de veículos, o que representa elevação de 75% do valor inicial.

A GM pisa fundo no acelerador para ser a líder de mercado em veículos elétricos na América do Norte e líder global em tecnologias de bateria por meio de sua plataforma Ultium e células de combustível Hydrotec. Quer também ser a primeira a comercializar modelos de direção autônoma em grande escala.

“A GM planeja vender mais de um milhão de veículos elétricos anualmente até 2025 e estamos aumentando os investimentos para ganhar escala rapidamente. Esse é o momento propício para a eletrificação nos Estados Unidos”, acredita a CEO da GM, Mary Barra.

GM Hummer - Caderno Garagem

Há quatro anos, a GM compartilhou sua visão de mundo com o triplo zero (acidente, emissão e congestionamento). Para isso, aposta em produtos como GMC Hummer, Cadillac Lyriq e na picape elétrica Chevrolet Silverado.

“Existe forte convicção entre funcionários, clientes, revendedores, fornecedores, sindicatos e investidores de que os veículos elétricos e a tecnologia de direção autônoma são a chave para um mundo mais limpo e seguro para todos”, afirma Barra.

O investimento da GM inclui despesas de engenharia e outros custos de desenvolvimento, a fim de apressar a transição para carros elétricos e autônomos. Antes do aumento, os recursos iniciais eram de US$ 20 bilhões e, em novembro do ano passado, a empresa já havia acrescentado US$ 7 bilhões ao bolo.

Cadillac Lyric - Caderno Garagem

Segundo a GM, o reforço no investimento se deve ao momento positivo de seus negócios, com lucro recorde nos últimos três trimestres. A companhia espera que o resultado consolidado do primeiro semestre seja superior ao esperado – entre US$ 8,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões –, apesar do impacto provocado pela escassez de semicondutores em toda a indústria.

Entre tantas ações, a GM pretende construir duas fábricas de células de bateria nos Estados Unidos em meados da década, Além de colaborar com a Honda no desenvolvimento de dois veículos elétricos com a tecnologia Ultium, a GM assinou memorando de intenções para fornecer baterias Ultium e células de combustível Hydrotec para a Wabtec Corporation, criadora, veja só, da primeira locomotiva 100% movida a bateria do mundo.

A GM também fornecerá a Hydrotec para a Navistar, que vem desenvolvendo caminhões pesados ​​movidos a hidrogênio para lançamento em 2024.