General Motors está produzindo picapes incompletas por conta da falta de semicondutores, diz agência Reuters

Veículos estão saindo das linhas de produção nos Estados Unidos sem módulos de gerenciamento de combustível, o que pode prejudicar o consumo e as emissões

Chevrolet Silverado é uma das picapes afetadas pela falta de semicondutores

 

A crise global de semicondutores, que afeta toda a indústria, começa a prejudicar o meio ambiente, também. De acordo com uma reportagem publicada pela agência de notícias Reuters, vários modelos de picapes leves produzidos pela General Motors nos Estados Unidos estão saindo das linhas de produção sem alguns componentes eletrônicos, como os módulos de gerenciamento de combustível, por conta da escassez dos insumos eletrônicos. A informação foi confirmada por Michelle Malcho, porta-voz da montadora, em mensagem enviada por e-mail à agência.

O problema afeta principalmente os modelos que contam com motor Ecotec3, um V8 de 5.3 litros a gasolina e câmbio automático de seis e oito marchas, que terão os níveis de consumo prejudicados, embora, de acordo com Michelle Malcho, esse prejuízo não deva ser considerável. As picapes Chevrolet Silverado e GMC Sierra são duas que estão deixando de receber os componentes eletrônicos.

“Ao tomarmos essa medida, nos tornamos mais capazes de atender à forte demanda de clientes e revendedores por nossos veículos, enquanto a indústria continua a se recuperar e a se fortalecer”, justificou Malcho em seu e-mail. A porta-voz observou ainda que todos os modelos de picapes leves (naquele mercado) seguem em produção, como a montadora garantiu que faria, por diversas vezes. Esses modelos, vale lembrar, estão entre os mais lucrativos para a empresa.

Ainda de acordo com a Reuters, Michelle Malcho se recusou a divulgar o número de picapes que será afetado pela decisão da montadora, mas disse que a medida deve se estender para toda a linha 2021 das picapes. A executiva afirmou ainda que isso não deve ter grande impacto nos números de economia média de combustível corporativa (CAFE, na sigla em inglês) da General Motors. Como o nome indica, esse dado indica a economia média que cada montadora deve apresentar, baseado em todos os veículos de seu portfólio, e é atualizado periodicamente.

A GMC Sierra é outro modelo que está saindo de fábrica sem modulo de combustível

“Nós monitoramos rotineiramente a nossa frota para manter a conformidade nos Estados Unidos e no Canadá, e equilibramos o nosso portfólio de forma que nos permita gerenciar circunstâncias imprevisíveis como esta, sem comprometer nossa conformidade com relação aos gases de efeito estufa e a economia de combustível”, afirmou Malcho.

A General Motors já havia anunciado que a crise dos semicondutores poderia reduzir o lucro da empresa em até US$ 2 bilhões neste ano, mas espera que o fornecimento global do insumo volte aos níveis normais no segundo semestre deste ano. Já a sua principal concorrente no mercado americano, a Ford, fez previsão menos otimista, afirmando que a escassez dos componentes eletrônicos pode provocar redução de US$ 2,5 bilhões nos lucros do grupo em 2021. Além disso, ela reduziu a produção da picape F-150, a mais vendida naquele país.

Também na segunda-feira, o diretor de tecnologia da BMW, Frank Weber, disse que as coisas serão difíceis no curto prazo.

“Esperamos que esta situação melhore conforme nos aproximamos do verão”, disse ele aos repórteres. “Mas abril e maio, esperamos que sejam muito difíceis. Previsões, não posso fazer porque realmente estamos trabalhando semana após semana. até agora temos tido muito sucesso e não perdemos um único dia na produção. ”

As ações da GM caíram 2% no pregão do meio-dia.