12 dicas para dirigir na chuva com mais segurança

A estação dos temporais está chegando, portanto, redobre os cuidados para evitar acidentes de trânsito

 

Vem chegando o verão e, com ele, aquelas pancadas de chuva capazes de causar estragos e incômodos, como por exemplo, os insuportáveis engarrafamentos. Mas, para evitar acidentes e que seu automóvel fique parado na enchente, é preciso tomar alguns cuidados.

Veja, a seguir, 12 dicas para dirigir debaixo de chuva com mais segurança e sem tanta preocupação.

  1. Em uma tempestade, é melhor parar o carro e aguardar um pouco. Nessas horas, nem os limpadores de para-brisa conseguem vencer a água que bate no vidro, capaz de reduzir muito a visibilidade. Aliás, tenha sempre as palhetas bem conservadas para trabalharem com eficiência durante as chuvas.
  2. Antes de mais nada, reduza a velocidade do carro. Afinal, quanto mais rápido, menor controle você terá ao volante, o que amplia a possibilidade de um acidente mais sério.
  3. Se você caminhar em piso molhado com o sapato ou tênis inadequado, o escorregão e consequentemente, o tombo, serão inevitáveis. Com o carro é a mesma coisa. Nas situações de chuva, os pneus precisam ter aderência ao solo, para não haver aquaplanagem, não derrapar e muito menos bater em outro veículo. Portanto, verifique sempre o estado dos pneus e jamais dirija com eles carecas. Quando a profundidade dos sulcos atingir 1,6 mm, eles devem ser substituídos.  Essa informação pode ser facilmente obtida verificando os indicadores de desgaste (TWI) incorporados aos sulcos circunferenciais dos pneus.
  4. Se você ainda não aderiu à ideia de ligar os faróis mesmo durante o dia na cidade, não esqueça de acendê-los quando começar a chover. Isso permitirá que seu automóvel seja visto com mais clareza por outros motoristas, diminuindo o risco de acidentes.

  1. À noite, os faróis devem permanecer predominantemente com o faixo baixo, pois o alto gera reflexos nos pingos de chuva, que prejudicam a visibilidade. Seu carro também será identificado em uma distância maior.
  2. Às vezes, a visibilidade fica tão comprometida que é preciso redobrar a atenção nas sinalizações da pista, a fim de contornar uma curva corretamente, sem a ameaça de bater em outros carros, muros ou grades laterais. Mais uma vez reforçamos a dica de diminuir a velocidade nessas situações.
  3. Frear o automóvel em piso molhado requer muita cautela. Uma freada muito brusca pode deixar o carro desgovernado e causar uma batida grave.

  1. Se em dias secos é importante manter distância do veículo da frente, imagine na chuva. Nunca se sabe qual é o tempo de reação dos outros motoristas. Assim, fique ainda mais longe para você ter tempo e espaço em caso de uma freada repentina.
  2. Não preste atenção somente no carro da frente. Observe o entorno, para notar se o veículo do lado, por exemplo, não está muito colado em você, prestes a cometer um erro. O mesmo vale para pedestres que podem surgir do nada para atravessar a rua, querendo fugir chuva. O uso dos espelhos retrovisores deve ser ainda maior.
  3. Ultrapassar debaixo do aguaceiro torna-se uma manobra arriscada. Só faça isso em caso de extrema necessidade e com muita segurança.

  1. Se você tem o péssimo – e proibido – hábito de usar no celular enquanto dirige, saiba que os riscos de um acidente grave se multiplicam com a chuva. Dessa forma, esqueça o aparelho e mantenha as duas mãos no volante.
  2. Uma boa dica para aumentar a aderência do carro é tentar seguir o rastro deixado por outros veículos. Esses trilhos tendem a estar menos encharcados.