Volkswagem da Argentina começa a produzir o Taos

Novo SUV chega ao Brasil ainda no primeiro semestre para se posicionar entre T-Cross e Tiguan

A Volkswagen iniciou, nesta sexta-feira (23), a produção do SUV Taos, no Centro Industrial de Pacheco, Argentina. Trata-se do primeiro utilitário esportivo da marca que sairá da linha de montagem da subsidiária portenha da montadora. “Hoje, não só adicionamos um novo produto como também demonstramos que nossas plantas enfrentam os desafios globais exigidos pela companhia”, afirma Pablo Di Si, presidente da Volkswagen America Latina.  

A linha de produção de Pacheco amargou um jejum de 10 anos sem receber um novo modelo e agora o Taos se junta à picape Amarok, que também é produzida na Argentina. “Esse novo marco confirma a confiança da matriz de que somos um player estratégico para o desenvolvimento de negócios na região”, diz Thomas Owsianski, presidente da Volkswagen Argentina.

O Taos estreará no Brasil ainda no primeiro semestre e será exportado para toda a região. Ele exigiu investimentos de US$ 650 milhões para modernizar a tecnologia e a infraestrutura de Pacheco, alem da implantação da plataforma global MQB A e de uma nova fábrica de tintas com tecnologia exclusiva baseada em água, que permite grande economia de água e energia e baixos níveis de emissão de partículas (700 vezes abaixo do que a lei exige).

Nos últimos anos, a Volkswagen vem investindo pesado em utilitários esportivos, na estratégia que chama de “Ofensiva SUV”. O Taos completa a família composta por Nivus, T‑Cross, Tiguan e Touareg nos mercados da América Latina.

Com 4,50 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,63 m de altura e 2,68 m de distância entre-eixos, o novo modelo vai se posicionar entre T-Cross e Tiguan. O porta-malas poderá alojar 498 litros.

Com o início da produção do Taos, o Grupo Volkswagen cumpre o objetivo de aumentar a oferta de SUVs. No momento, a empresa está perto de finalizar o plano de investimentos de quase US$ 1 bilhão para a modernização de seus dois polos na Argentina e a renovação de produtos, com foco na exportação.