Carros da Volvo terão inteligência artificial para prevenir acidentes

Tecnologia Lidar equipará futuros modelos elétricos da marca para tentar impedir acidentes

Volvo - Caderno Garagem

Anunciado para 2022, o SUV elétrico da Volvo – que sucederá o XC90 – virá com tecnologia Lidar, desenvolvida pela startup Luminar, além de um supercomputador de direção autônoma alimentado pelo sistema Nvidia Drive Orin. A função do sofisticado dispositivo é preservar vidas, prometendo ser uma nova referência em segurança automotiva.

“Usando este hardware como padrão, podemos melhorar continuamente os recursos pelo ar e introduzir sistemas de acionamento autônomo avançados”, afirma Håkan Samuelsson, presidente-executivo do Grupo Volvo Car.

Ao combinar o hardware de última geração com os softwares da Volvo, Zenseact e Luminar para a próxima geração de tecnologias anticolisão, a montadora pretende oferecer um novo pacote de segurança capaz de reduzir consideravelmente a ocorrência de acidentes.

As novas tecnologias são projetadas para responder principalmente em situações de tráfego, com potencial de resultar em acidentes com ferimentos graves.

“Nosso objetivo de longo prazo é atingir zero colisões e evitar acidentes”, ressalta Henrik Green, diretor de tecnologia da Volvo. “Na medida em que melhoramos as tecnologias de segurança por meio de atualizações pelo ar, esperamos que as colisões se tornem mais raras, salvando consequentemente, mais vidas”.

Segundo a Volvo, a nova tecnologia irá, com o tempo, intervir cada vez mais para evitar colisões, ajudando por tabela a diminuir os valores de seguro dos automóveis.

 

Além do conjunto de dispositivos dotados de inteligência artificial (IA), o SUV terá sistemas de backup para funções como direção e frenagem em condição de direção autônoma.