Nissan cria elétrico que mostra o que eles pensam para o futuro

Com controle de tração integral e dois motores elétricos, diferenciais, caixas de transferência e eixos cardã seguirão para o ferro-velho

 

A Nissan aproveitou o burburinho em torno do Salão de Tóquio e revelou um carro de testes de alta potência com tração integral e dois motores elétricos, equipado com novas tecnologias que estão sendo desenvolvidas para a próxima geração de veículos elétricos da montadora.

Baseado no modelo 100% elétrico Nissan LEAF e+, o veículo é equipado com um avançado sistema de tração integral, movido por dois motores elétricos de alta potência – um na frente e outro na traseira –, integrados à tecnologia de controle do chassi desenvolvida pela Nissan. O resultado é um sistema de controle elétrico da tração integral, que levará a performance dos carros elétricos da Nissan a um novo nível.

“A nova geração de veículos elétricos que a Nissan vai lançar em breve causará uma verdadeira ruptura”, disse Takao Asami, vice-presidente sênior de pesquisa e engenharia avançada na Nissan. “Ela faz parte das tecnologias de propulsão elétrica e controle da tração integral da Nissan, aliada à nossa tecnologia de controle do chassi. Todas juntas ajudarão a dar um grande salto em termos de aceleração, performance nas curvas e frenagem, à altura dos superesportivos”. Esta tecnologia é um componente-chave da Nissan Intelligent Mobility, visão da empresa para a forma como os veículos são conduzidos, propulsionados e integrados à sociedade.

MUITO DESEMPENHO, MAS DE FORMA SUAVE

Utilizando dois motores elétricos distintos – um na frente e outro na traseira – o trem de força gera 305 cv de potência e 69,3 kgfm de torque. Este rendimento é complementado pelo sistema de controle dos motores elétricos de altíssima precisão, que oferece uma aceleração brutal, porém incrivelmente suave.

Os motoristas podem se beneficiar do sistema de controle da tração integral em praticamente qualquer situação de condução, usufruindo de uma performance de condução muito melhor e mais segura, deixando no passado as tecnologias pesadas de caixas de transferência e diferenciais. A rolagem e mergulho da carroceria são minimizadas por meio da ação de frenagem regenerativa do motor elétrico traseiro, em complemento à frenagem regenerativa usual do motor elétrico dianteiro. Assim, ao desacelerar no trânsito urbano, o sistema faz com que os passageiros não sejam ‘chacoalhados’ para trás e para frente, reduzindo o potencial de desconforto e enjoo neste tipo de situação.

Além de otimizar a distribuição do torque na frente e na traseira, o sistema controla a frenagem de forma independente para cada uma das quatro rodas, garantindo ao condutor uma incrível estabilidade que garante a direção desejada com o mínimo de trabalho ao volante.

Segurança em qualquer tipo de pista

A tecnologia de controle da tração nas quatro rodas aumenta a segurança do motorista em uma série de condições de uso. Ao fazer curvas em uma pista coberta de neve, por exemplo, o veículo pode seguir fielmente a trajetória pretendida pelo motorista, graças ao controle de alta precisão dos motores elétricos e freios. Com segurança para enfrentar uma série de superfícies diferentes, dirigir se torna muito mais prazeroso.

Quem diria que um dia olharíamos com desdém – e alguma pena – para sistemas como o quattro da Audi, que um dia foi o pináculo da tração e estabilidade. Os tempos mudaram.