Supervan elétrica da Ford tem 2.000 cv de potência

Modelo é baseado na E-Transit e serve de show-room para diversas tecnologias

A Ford Pro Electric SuperVan faz parte da quarta geração da linha de vans de alta performance da montadora. A van elétrica entrega 2.000 cv, ou seja, é a mais potente produzida pela marca: acelera de 0 a 100 km/h em menos de dois segundos e chega a 300 km/h.

Desenvolvida pela Ford Performance e pela Stard, empresa especializada em carros elétricos de competição, a supervan é uma vitrine de tecnologias de eletrificação e conectividade já oferecidas na linha Transit e, agora, levadas ao extremo para o mundo das pistas.

Se não bastasse um, a Ford Pro Electric SuperVan é equipada com quatro motores elétricos, tração integral, bateria de 50 kWh com refrigeração líquida e sistema especial de controle. O chassi, desenvolvido especialmente para as pistas, é baseado na E-Transit, primeira versão elétrica da van mais vendida da Europa.

A Ford Pro, divisão de veículos comerciais da marca, oferece vários serviços conectados que aumentam a produtividade da Transit em operação normal. A transmissão de dados em tempo real e o gerenciamento remoto servem também para elevar ao máximo o desempenho do veículo.

“Performance não é só potência. Como nos carros de corrida modernos, os engenheiros podem usar os dados em tempo real para otimizar o desempenho”, afirma Mark Rushbrook, diretor global da Ford Performance Motorsports.
A Transit Mk. 1, primeira supervan da Ford, foi apresentada em 1971 com motor central do Ford GT40 vencedor de Le Mans. A fórmula ganhou aprimoramentos na Transit Mk. 2, com carroceria de fibra de vidro e a estrutura monobloco do carro de corrida C100 da Ford, com motor V8 Cosworth de 590 cv.

Esse modelo mais tarde renasceu como a repaginada Transit Mk. 3, com motor Cosworth HB de 650 cv compartilhado com carros de Fórmula 1 da época.

O time de design da Ford criou o estilo agressivo da Ford Pro Electric SuperVan, com linhas musculosas e arcos de rodas. A engenharia também pôde aproveitar todo o potencial da motorização elétrica, com menos restrições de espaço e refrigeração que as normalmente encontradas nos motores a combustão.

A van de competição combina a estrutura de aço da E-Transit com paineis de carroceria em composto leve. A bateria pode ser recarregada em 45 minutos. O divisor frontal, as saias laterais e o difusor traseiro são típicos de veículos de competição. Os recortes e a asa traseira geram “downforce” para aumentar a tração na pista. A suspensão de braços duplos e os freios também são especiais.

O interior tem gaiola de proteção, bancos padrão FIA e uma grande tela multimídia vinda de veículos de produção da Ford, como o Mustang Mach-E. Ela controla os sistemas de conectividade, informação e os cinco modos de direção que variam o mapa de torque, a frenagem regenerativa e outros parâmetros de resposta para rodagem em estrada.

O pacote eletrônico inclui controles de tração e de partida, limitador de velocidade e frenagem regenerativa de três estágios, similar à usada na E-Transit. Em baixa velocidade, o modo Eco otimiza a eficiência do motor, maximiza a frenagem regenerativa e corta a tração no eixo traseiro. O botão E-Boost aumenta a potência e o torque instantâneos para velocidade máxima.

Outro recurso é o modo de limpeza de pneus: ele freia totalmente um eixo e libera a tração no outro, criando “burnouts” impressionantes na frente ou na traseira, para limpar e aquecer os pneus antes das corridas.