Quer um seminovo? Veja o que avaliar antes da compra

Como saber se um carro usado é uma boa escolha ou se é uma roubada

Com os preços estratosféricos dos carros 0 km, muita gente está optando pela compra de um seminovo, de acordo com as possibilidades do bolso de cada um. Mas, se a escolha de um automóvel novo exige cuidados, imagine então a de um modelo de segunda mão.

Uma forma de diminuir o risco é conferir as ofertas das locadoras que, depois de tirar seus carros da operação do dia a dia, os colocam para venda ao público. Elas garantem que fazem todas as revisões no prazo e na quilometragem correta, além de inspecionar mais de 300 itens, a fim de garantir a qualidade do veículo.

A Localiza, por exemplo, lançou o certificado de qualidade para os seminovos. O documento atesta a procedência dos componentes do carro nas seguintes categorias: carroceria, direção, elétrica e acionamento, freios, identificação veicular, iluminação, vidros e alterações características, interior, suspensão, motor, pneus, rodas e rolamentos, revisão e transmissão.

O cliente recebe o levantamento impresso e tem acesso a um QR Code, que o direciona para uma landing page para saber tudo o que foi vistoriado no carro. Outra vantagem é que o automóvel teve um único dono, ou seja, a própria locadora.

Para essa compra ser o mais segura possível, é preciso seguir o checklist dos itens revisados. Na hora da compra do seminovo, é importante fazer uma avaliação visual, mecânica e documental do veículo. Verificar a idoneidade de quem vende e a procedência do carro é outra questão a ser considerada.


Veja o que deve ser verificado pelo consumidor:

Desgaste da pintura
Com o tempo, a pintura pode apresentar sinais de desgaste ou marcas de uso. Observe o estado da pintura para saber o cuidado que o dono anterior teve com o veículo.

 Revisões
Checar as manutenções preventivas indicadas pelo fabricante é fundamental para entender o estado do veículo.

Danos estruturais
Carros que sofreram batidas muito fortes podem ter a estrutura comprometida. Por isso, esteja acompanhado de um olhar técnico que poderá fazer essa avaliação.

Ruídos
A má qualidade do asfalto das ruas brasileiras é capaz de causar ruídos nos carros. Fique atento aos barulhos e faça um test-drive com os vidros fechados, o que facilita a percepção de possíveis ruídos.

 Bancos e forrações
Manchas nos bancos significam excesso de quilometragem. Preste atenção, também, no forro do teto e nos plásticos do painel.

 Cheiro de cigarro
O cheiro do cigarro denuncia que o carro era um fumódromo, pois ele penetra nas partes plásticas do painel e no estofado dos bancos. Observe se existem marcas de queimado nos bancos.

 Multas ou restrições financeiras
Conferir a situação legal do carro evita que o cliente tenha de arcar com débitos cometidos pelo dono anterior.

Procedência
Verifique se o carro tem passagem em leilões ou se já sofreu algum sinistro. Essas informações ficam registradas em um banco de dados das seguradoras e isso pode implicar na recusa do seguro.

Odômetro adulterado
A prática de adulterar o odômetro ainda é recorrente. A dica para escapar do golpe é ver o estado de conservação de itens como volante, pedais, bancos e câmbio. As condições desses componentes devem estar compatíveis com a quilometragem mostrada no painel.

Garantia
Quando a compra for realizada em uma empresa especializada, avalie se há garantia de atendimento ao cliente.