Jaguar Land Rover vai usar tecnologia espacial para desenvolver seus novos carros

Objetivo do projeto, que terá duração de dois anos, é desenvolver material mais leve, com maior qualidade de acabamento e maior durabilidade

A avaliação prevê testes no calor, areia e poeira

 

O grupo Jaguar Land Rover juntou-se a um consórcio de empresas de alumínio e fabricantes de automóveis líderes de mercado, que está pesquisando a vida útil de materiais e estuda a possibilidade de reduzir seu peso, estendendo sua durabilidade. O objetivo é garantir a qualidade de componentes e da manufatura para desenvolver veículos mais leves e eficientes no futuro. Tudo isso vai permitir reduzir as emissões ainda mais, o que é parte da visão Destination Zero da Jaguar Land Rover – um futuro com zero emissão, zero acidente e zero congestionamento.

Esse projeto tem previsão para durar dois anos e o grupo JLR pretende utilizar tecnologia desenvolvida para a indústria espacial para analisar como os diversos materiais reagem à utilização severa em ambientes extremos, sob as mais diferentes condições climáticas e esforços.

Assim, amostras de novos materiais e compósitos planejados para serem utilizados nos futuros veículos da Jaguar e da Land Rover serão montados em sensores usados pela indústria espacial. Estes, por sua vez, serão instalados em pontos estratégicos de veículos que vão ser postos à prova nas regiões mais extremas do planeta, rodando mais de 400 mil km por toda a América do Norte.

Frio extremo, neve e gelo serão outros desafios

Os sensores vão mostrar o desempenho dos materiais analisados e os dados obtidos serão compartilhados com a equipe de desenvolvimento de produto da Jaguar Land Rover no Reino Unido. De posse dessas informações, os técnicos conseguirão prever, com precisão, como será o comportamento do material nos veículos durante sua vida útil. Isso permitirá desenvolver novos metais e compósitos que vão proporcionar maior vida útil aos automóveis, mantendo o nível de qualidade elevado, como é o padrão da JLR.

Exemplo de como os sensores serão montaods nos veículos de teste

“Esse projeto de pesquisa é um ótimo exemplo do nosso compromisso com o desenvolvimento de materiais leves, duráveis e robustos para os nossos futuros veículos; o uso de tecnologia espacial avançada, como a desses sensores, atesta a qualidade e os padrões que estamos atingindo”, afirmou Matt Walters, engenheiro-chefe de metais e processos de materiais da Jaguar Land Rover.

Lama, barro e umidade excessiva também exigem muito dos materiais

Todo esse trabalho de pesquisa contínua de materiais para serem usados no futuro integra o Projeto Reality da JLR, um processo pioneiro de reciclagem que proporciona uma segunda vida útil ao alumínio utilizado na indústria automotiva, por meio do desenvolvimento de estruturas eletrônicas impressas, que, por sua vez, vão permitir a redução de peso na parte eletrônica dos veículos em até 60%.

“Estamos trabalhando ao lado de parceiros de classe mundial neste projeto de pesquisa inovador, e melhoraremos a correlação entre o mundo real e os testes acelerados à medida que continuamos a elevar o padrão de qualidade e de durabilidade”, afirmou Matt Walters.